OS EPISÓDIOS

PRIMEIRA PARTE - EM BUSCA DE AI
SEGUNDA PARTE - SALVANDO A ÁRVORE DA SORTE



EM BUSCA DE AI
Freddy e Ai



01. Um Encontro Predestinado

ep 1Um novo cãozinho chega ao Canil Feliz — Alex do Cântico Raio Lunar (Bulldog Francês), onde já estão os filhotes Shibata (Shiba Inu), Sheena (Shih Tzu), Max (Boxer), Poppy (Papillon), Chibiyama (Chihuahua) e Corocorone, um Buldogue um pouco mais velho do que os outros e que está "encalhado".

A gata Grace, curiosa, vai até a loja para ver quem é o novo filhotinho e conversa com Alex, antes de ser posta para fora pelo proprietário do lugar. Grace vai então correndo até seu amigo Eiji (Pastor Alemão) e conta-lhe as novidades.

A menina Ai-chan adota Alex.


02. Um Adeus Inesperado

ep 2Ai vai até uma confeitaria pegar um bolo para o aniversário de sua mãe e deixa Alex preso do lado de fora. Alex conversa com um cahorro muito elegante chamado Earnest (Afgan Hound), que assusta o pobre cãozinho com histórias de perigo iminente.

O metido vai embora e Alex, sozinho, fica apavorado quando vê sua Ai sair da confeitaria e pegar um ônibus. Ele consegue se soltar e sai correndo atrás da menina, embarcando também no ônibus. Quando consegue ver que a menina que estava seguindo não é Ai, já é tarde — o ônibus partiu. Começa então uma longa jornada para o pequeno Alex, cheia de aventuras, novas amizades e descobrimentos.


03.  Meu Segundo Amigo Dach

ep 3Alex conhece Dach, um Dachshund que vive na rua, e se apresenta a ele como Freddy, personagem de um conto do As Aventuras de Freddy que Ai costumava ler para ele.

Dach ensina Freddy a conseguir comida (muitas vezes roubando...)

Um dia estão descansando em um parque e um menino terrível pega Freddy  no colo e Freddy o morde. Dach ensina que não se deve morder humanos. Logo é Dach que está nas mãos do menino, que é desajeitado e não tem jeito com animais. E o pior, ele conhece Dach! Dach fica horrorizado com o fato do menino chato o ter achado novamente... com muito custo, Freddy e Dach conseguem se livrar dele e seguem viagem.


04.  O Dia Livre de Kammy

ep4O dono do Canil Feliz costuma visitar os cães que foram vendidos em sua loja. Ele passa na casa de Ai e a menina conta que Alex fugiu; ela chora porque se sente culpada pelo sumiço dele.

Freddy e Dach chegam em um bairro e invadem o território do Dobermann MartaffDach ensina a Freddy que mostrar a barriga para um valentão significa dizer "fora daqui!"...

Freddy and Dach passam em frente a uma mansão e Dach entra no jardim cavando um buraco. Na casa, Dach se encanta com uma linda cachorrinha dormindo em seu cesto. A Cavalier King Charles Spaniel Kammy recebe os dois com muita educação; o namorador Dach todo derretido. Kammy oferece sua ração para os convidados e eles contam que estão viajando a procura da dona de Freddy. Kammy é muito mimada por sua dona, uma senhora muito rica e nunca sai de casa, a não ser para ir à exposições caninas e Freddy e Dach resolvem levá-la para um passeio na cidade. A dona fica desesperada quando percebe que sua Kammy fugiu.

Os três encontram pelo caminho Martaff, que desafia Freddy e Dach; Kammy fica brava com o valentão. Os três se divertem na rua, roubam comida e tudo, até que o mordomo da dona de Kammy a acha e a leva para casa.

Depois de um bom banho, Kammy está pronta para mais uma exposição canina. Freddy e Dach vão à exposição, mas Dach deixa o lugar chorando, pois entende que a mimada Kammy não serve para ele, um cão de rua. Freddy não entende o que aconteceu, pois ainda é um filhote. O irritável Dach briga com ele e os dois rolam até cair em um rio...


05.  O Perdido Freddy

ep 5No Canil Feliz, um homem misterioso adota o encalhado e tristonho Corocorone; o dono do Canil Feliz, desconfiado, manda Eiji seguir o carro dele, mas Eiji perde a pista.

Freddy e Dach, depois da briga que tiveram, seguem cada um seu caminho.

Dach aceita bolacha de um trabalhador e lembra saudoso que, quando filhote, já teve um dono que o amava.

Freddy conhece Ryoma, um Tosa idoso que lhe ensina o cumprimento canino, o que é marcar território e fazer pipi com a perninha levantadao que Freddy ainda não consegue.

O Husky Siberiano Freezer desafia Ryoma e o derrota em uma luta, expulsando o velho cão da região.


06. O Orgulho de um Cão Idoso

Depois de ser expulso de seu território pelo jovem Husky Siberiano Freezer, Ryoma se refugia em um bosque; Freddy sai à sua procura e no caminho encontra Daltian (uma Dálmata) e Kitchen, um Rough Collie que fica preso no jardim, em frente à sua casinha e é muito desprezado por seu dono — na hora da comida, ele joga pela janela um pão na direção do cachorro e, quando este late com medo de que Freddy lhe roube o petisco, o dono joga água nele para que fique quieto. Kitchen diz a Freddy que Ryoma "fugiu com o rabo entre as pernas" e Freddy defende Ryoma com ardor.

Freddy, usando as técnicas que o próprio Ryoma lhe ensinou, acha o velho cão no bosque; ele tenta levantar o espírito de Ryoma, mas este parece que desistiu de tudo, acha que não adinata fazer nada até porque ele não tem muito mais tempo de vida.

Quem está também na região é Dach; ele encontra — ou melhor, é encontrado — pelo feroz Freezer, que o manda sair de seu território. O baixinho foge, não sem antes fazer o grandão de bobo com um diálogo confuso de perguntas e respostas...

Sozinho, Freddy vai tentar conseguir comida usando o "método" que o orgulhoso "cão de rua" Ryoma lhe ensinou — isto é, roubando ao invés de pedir. Quando ele está tentando roubar umas salsichas de uma barraca (mas não alcança), chega Edgar, um Fox terrier de Pêlo Duro, que diz que há uma maneira mais fácil de conseguir comida: pedindo. Ele demonstra que latindo e abanando o rabinho, o vendedor lhe dá uma salsicha de boa vontade. Mas Freddy diz que um cão de rua deve ser orgulhoso e jamais deve implorar nada para os humanos; e, aproveitando que Edgar está próximo à barraca, sobe em cima dele e rouba uma porção de salsichas. O dono vai atrás de Freddy e quando o alcança, olha com tristeza para o cãozinho e diz que as salsichas estão arruinadas. Freddy lembra de Ai, de quando mastigou um chinelo do pai dela e a deixou triste.

Freddy levas as salsichas para Ryoma e as divide com ele. Mas conta ao cão idoso que acha errado roubar comida, que o olhar magoado do vendedor o fez lembrar de sua dona Ai e do que ela lhe ensinou. No entanto, Ryoma continua insistindo que um cão de rua deve ter orgulho — e tira a coleira vermelha que até então Freddy usava.

Ryoma e Freddy saem para dar uma volta pela região, com Ryoma dando umas dicas de como se localizar através do olfato. Eles acabam em uma rua que dá para uma avenida e uma lembrança vem à mente do velho cão: um acidente de trânsito envolvendo uma van de pet shop, a porta traseira se abrindo, ele saindo correndo de dentro da gaiola danificada pela batida. Ryoma já está dando a volta quando uma senhora passa de carro na avenida e vê seu querido cachorro a poucos metros; ela desce desesperada do carro e chama "Ryoma! Ryoma!" Ryoma finge não ouvir, apesar de Freddy tentar chamar sua atenção.


07. Meu Verdadeiro Amigo

Dach continua perambulando pela região; agora é a vez dele de passar em frente à casa de Kitchen, onde o cachorro está brincando de bolinha com seu dono. Dach rouba a bolinha e Kitchen, que está solto, vai atrás; o dono consegue alcançá-lo, lhe põe a guia e lhe dá uma bronca. Kitchen fica bravo com Dach e este some com a bolinha. No entanto, Dach acaba achando que brincar de bolinha não tem graça nenhuma e devolve-a para Kitchen.

Freddy e Ryoma estão de volta ao bosque. Ryoma diz que não quer nem saber de sua antiga dona, porque ela o "abandonou como se ele fosse lixo" (isso é o que o pobre cão acredita, não entendendo que ele se perdeu após o acidente com a van do pet shop) e ele não pode perdoá-la por isso.

Freddy volta à cidade e vê um carro parecido com o da dona de Ryoma e volta ao bosque para chamar Ryoma. Sem falar porque, insiste para que o velho cão venha com ele. Na cidade, o carro (que nem era o da velha senhora) já não está mais estacionado e Freddy conta que estava procurando a dona de Ryoma. Ryoma fica zangado e diz para Freddy parar de incomodá-lo; Freddy argumenta que ele deve rever a dona para saber o que realmente aconteceu. Neste momento... sua dona está passando na rua! Ela chama Ryoma, mas este se afasta. Freddy vai atrás dele, mas Ryoma está muito bravo e ataca o filhote. A senhora corre para socorrer Freddy e diz para Ryoma que ele "não costumava ser um cachorro mau". Ryoma se afasta e Freddy vai atrás.

Ryoma perambula pela cidade; está chovendo muito. Ele chega novamente na rua que dá para a avenida e vê o carro da velha senhora, vazio, com a porta aberta. Isso lhe traz recordações, do tempo em que vivia feliz ao lado de sua querida dona. Freddy o encontra.

A dona de Ryoma o está procurando, percorrendo a pé as ruas do bairro. Ela tropeça, cai  e de sua bolsa cai um pacote de ração canina. Ela leva suas mão ao peito: está tendo um infarte.

Ryoma, que está indo embora com Freddy, sente que algo está errado com sua dona (ele lembra do dia em que estava com ela e ela teve um infarto) e resolve voltar para procurá-la. No caminho, dá de cara com Freezer e diz a ele que está com muita pressa, mas Freezer quer é briga. Desta vez, Ryoma enfrenta o cão mais jovem e vence.

Freddy e Ryoma encontram a senhora caída no chão; ela diz a Ryoma que jamais o abandonou, ela estava no hospital quando ele fugiu. Ryoma começa a latir. Freddy corre até a casa do Rough Collie Kitchen e pede ajuda; Kitchen se solta de sua casinha, seu dono vê, corre atrás dele e encontra a senhora desmaiada.

Na porta do hospital, Ryoma diz a Freddy que estava muito errado em pensar que tinha sido abandonado e que vai voltar a viver com sua dona. A senhora sai pela porta do hospital e carinhosamente é recebida por Ryoma. A cena faz com que Freddy se lembre de sua querida Ai e ele parte novamente para procurá-la.

Logo ele reencontra Dach e os dois fazem as pazes (eles tinham brigado e se separado por causa do interesse de Dach por Kammy; Freddy não tinha entendido porque os dois não poderiam ficar juntos, o que irritou Dach).


08. O Reencontro com Max

ep 8

Com muita fome, Freddy e Dach chegam a uma casa onde um cão monta guarda — é Max, o Boxer que Freddy conheceu ainda filhote no Canil Feliz! Max só pensa em comida e não se dá muito bem como cão de guarda... ele recentemente deixara um ladrão de joias entrar na casa (depois de ganhar um belo bolo de carne) e fazer a limpa.

Freddy e Dach se juntam a Max para passar a noite na casinha dele — e não é que o mesmo ladrão aparece para um novo roubo? Os 3 cachorros tentam resistir à comida oferecida para eles, mas a carne é fraca e eles a aceitam.

Arrependidos depois da comilança, eles entram na casa e põe o ladrão pra correr; mas no processo, fazem a maior bagunça. Quando a dona de Max chega, ela o expulsa de casa e assim o Boxer se junta à jornada de Freddy e Dach.

Os três cachorros estão peambulando pela cidade quando vêem o ladrão de joias. Eles começam a latir para chamar a atenção dos humanos e atacam o meliante; tentrando fugir, ele cai, derruba a maleta que se abre e espalha as joias pela calçada. Um policial que passa por perto vê a cena e prende o criminoso. A recompensa para os cães é MUITA comida, oferecida pelas testemunhas do feito "heroico" dos três cachorros.


09. Você Pode Mook

ep 9Mook é um Old English Sheepdog — cão pastor — que não consegue liderar ovelhas; ele acaba por perder duas delas. Mook volta correndo para a fazenda, choramingando e desabafa com sua amiga Whity, uma Poodle branquinha.

Freddy, Dach e Max chegam a fazenda dos Rogers, residência de Mook, onde o faminto Max se delicia com o leite das duas ovelhas desgarradas, mamando feito um filhotinho. Mook vem ao encontro deles e todos vão se juntar ao rebanho de ovelhas e ao avô de Mook, que agradece aos 3 forasteiros por terem encontrado as ovelhas perdidas. Mook fica arrasado...

No celeiro, o dono da fazenda oferece uma refeição aos visitantes, para extrema alegria de Max. Freddy, Max e Dach ficam sabendo por Whity que o pai de Mook enfrentou um coiote para defender as ovelhas e foi muito ferido; ele dorme ao lado dos donos todas as noites, até que se recupere. Dach, por sua vez, acha que os cães pastores são escravos dos humanos; ele sim, sabe o que é viver, sendo um cão de rua, livre. Os visitantes passam a noite na fazenda.

No dia seguinte, Freddy acorda bem cedo e pede para Mook deixá-lo acompanhar seu trabalho com as ovelhas; os dorminhocos Max e Dach acordam bem mais tarde. Os dois vão até o estábulo, onde o Sr. Rogers está tirando leite das vacas; Max fica enebriado pelo aroma leitoso daqueles enormes animais que nunca viu e vai entrando, enquanto Dach fica desconfiado e com medo. O Sr. Rogers oferece leite para Max, espirrado direto da teta da vaca na boca do cachorro; logo Dach se junta ao banquete. Freddy continua observando o trabalho de Mook e seu avô com as ovelhas; depois de um dia de trabalho pesado, ele se junta novamente a Max e Dach e todos jantam no celeiro com Mook e o avô.

No meio da madrugada, todos são acordados (menos Max) por um ataque de coiotes; Freddy e Dach correm para ajudar Mook e o avô. O avô está em apuros, sendo atacado por um bando de coiotes, até que Mook toma coragem e vai em socorro dele, afastando os agressores. O Sr. Rogers chega logo depois e, atirando para o alto, põe os coiotes para correr. Freddy e Dach, sem nada poder fazer, voltam ao celeiro para dormir.

O avô de Mook vai para o "hospital" — o quarto de seus donos, para se recuperar ao lado do filho. Agora, Mook é o único responsável pelas ovehas e cumpre seu papel direitinho!


10. Um Vínculo Amistoso

ep 10No povoado Taner, um estábulo pega fogo; Bobby e o filhote de Labrador Retriever Kinta se salvam do incêndio, mas o pai do menino fica furioso, culpando o cachorrinho pelo acidente e ferimentos no filho; ele então ordena que todos os cachorros  que perambulam pela vizinhança sejam capturados.

Freddy, Dach e Max (morto de fome) chegam ao povoado; Dach tenta conquistar uma bela cadelinha que está na janela de sua casa, mas o namoro é interrompido por sua dona. Enquanto Max continua pensando em comidas, o salsicha só quer saber onde estão "as meninas" — mas o que ele encontra é uma manilha redondinha e, não conseguindo resistir a tentação de entrar em algo de formato tão aconchegante, ele acaba ENTALADO!

Freddy e Max seguem seu caminho e chegam à fazenda; no jardim da casa, eles encontram Bobby, que, com a perna machucada, está em uma cadeira de rodas. Bobby oferece bolachas amanteigadas para os cachorros, o que deixa Max extasiado. No entanto, o lanchinho é interrompido pela empregada, que manda os dois cães embora a vassouradas. Eles são salvos pela mãe de Kinta, Jess, que os apresenta a seu filhote e ao sábio São-bernardo Bernardo; eles estão abrigados em um casebre abandonado, pois Jess foi expulsa da fazenda, após a morte de sua dona, a mãe de Bobby.

Enquanto isso, o entalado Dach tem um encontro bastante desagradável dentro da manilha com um... gambá! Até que foi uma coisa boa ficar fedido, pois os empregados do pai de Bobby estavam por perto para capturá-lo. Dach consegue desentalar-se e corre para o rio, não sem antes causar grande estrago em uma cozinha pela qual passa pelo caminho.

Jess está infeliz; seu filhote está ferido e os humanos não cuidam dele. Ela vai até o túmulo de Maria, sua dona e mãe de Bobby, onde é capturada pelos empregados da fazenda; estes fazem seu serviço com muita dor no coração. Freddy sente que Jess está em perigo e corre para ajudá-la; Bernardo começa a pensar que Freddy é um cachorrinho muito especial: ele pode ser o lendário Freddy.


11. Corre, Fred

ep 11Seguindo seus instintos, Freddy vai até o cemitério, mas é tarde, Jess já foi levada; mas ali, ele reencontra Dach, que viu um caminhão partindo com Jess numa gaiola.

Freddy e Dach chegam na casa de Bobby, onde Jess está sendo mantida presa. Eles testemunham o pai de Bobby dizendo que quer se livrar de todos os cães, que todos eles devem ser capturados. Quando estão sozinhos, Dach — um cachorro de rua que sabe se  virar, segundo ele mesmo — abre a gaiola e liberta Jess.

Freddy, Dach e Max e "sequestram" Bobby, com cadeira de rodas e tudo. Max, com a ajuda de uma corda, puxa a cadeira; Freddy insiste que Bobby precisa ver Kinta e lidera uma corrida louca até o cemitério, onde ele tem certeza de que vai encontrar o filhote. Atrás dele, está o pai de Bobby e seus empregados, em um caminhão. Freddy, em pensamento, pede desesperado a ajuda de todos os cães da vizinhança — em suas casas, eles começam a sentir uma angústia, algo urgente que têm que fazer. Quando chegam ao cemitério, encontram Kinta e centenas de cães; o pai de Bobby finalmente se emociona e desiste da perseguição aos cães do povoado.

Está na hora de partir; Freddy, Max e Dach estão se despedindo de Jess, Kinta e Bernardo, quando este último diz a Freddy que em pouco tempo ele terá uma missão importante para cumprir; que quando a hora chegar, ele vai entender e então saberá porque veio a este mundo e porque se chama Freddy.


12.  O Caminho que Cocco Escolheu

ep 12Freddy, Dach e Max (morto de fome) conhecem a American Cocker Spaniel Cocco (o namorador Dach logo se encanta com a beleza dela...). Seus donos — um jovem casal muito afeiçoado ao seu animal — acabaram de ter um bebê e a cachorrinha é colocada do lado de fora da residência, amarrada à casinha de cachorro; uma situação provisória, até que o bebê fique um pouquinho maior.

Cocco entende seus donos e não fica triste, mas, pela segunda vez durante a viagem, Freddy sente que precisa fazer uma determinada coisa — no caso, libertar Cocco. Ele tira a coleira da cachorrinha e ela decide se juntar a Freddy, Dach e Max na jornada em busca de Ai.


13. Eu Não Sou Rocky

ep 13

Apostando com Freddy, Cocco e com um faminto Max que pode escolher o caminho mais curto para se chegar a um povoado, Dach parte sozinho e acaba rolando uma colina e machucando a patinha. Um senhor bondoso, a caminho do túmulo de seu falecido Dachshund Rocky o encontra e cuida dele. O irritado Dach, porém, fica muito aborrecido em ficar preso na cabana do homem, ainda por cima usando um [colar elizabetano] para evitar que mexa no ferimento na pata. Ele só se acalma quando o senhor começa a tocar gaita; Dach até sonha com sua mãe e seus irmãozinhos, com o dia em que foi tirado dela e levado a uma loja de animais para ser vendido. E com o dia em que se viu abandonado na rua, sozinho e com fome, em um dia chuvoso.

Freddy, Max e Cocco chegam ao povoado e na praça central veem um homem tocando gaita e, ao seu lado, um cachorro que se parece com Dach. Eles resolvem seguir o homem até sua cabana e confirmam que é mesmo Dach. Eles libertam Dach, mas este, quando está saindo, olha para trás, vê o senhor bondoso que o acolheu, e finge que sua pata ainda dói muito.

Freddy, Max e Cocco passam a noite no bosque, na chuva. No dia seguinte, encontram novamente Dach e o homem na praça, mas desta vez Dach segue os amigos — o senhor bondoso o incentiva a ir, pois vê que os cães são seus amigos.


14. A Aparição de Corocorone

ep14

Ai está no parque, olhando triste para as pessoas brincando com seus cães; ela sente muita falta de Alex. O dono do Canil Feliz se aproxima e tenta animar a menina; ele diz que tem o pressentimento de que Alex está bem e ela voltará a vê-lo. Observando os dois, estão o Pastor alemão Eiji e a gata Grace; Eiji comenta que Freddy está aprendendo mil coisas e quando Grace quer saber mais, o cachorro desconversa.

Enquanto isso, Freddy, Dach, Max e Cocco estão descansando às margens de um grande rio, na área portuária de uma cidade. Dach fala que o rio vai para o mar — dos quatro, só o experiente salsicha sabe o que é "mar"...

O faminto Max logo sente cheiro de comida e vai procurar a fonte, sendo seguido por Cocco. São peixes assando em uma pequena churrasqueira em um... barco (tipo balsa). Os dois cachorros se aproximam e Max tenta roubar um peixinho, mas está muito quente e ele larga o petisco no chão... nisso, aparece o marinheiro dono do barco e pega os dois em flagrante delito. Max tenta esconder o peixe sentando nele e disfarça a dor da queimadura, mas o homem fala que tudo bem, que ele pode comer o peixe!

Das margens do rio, Freddy e Dach veem com espanto o barco começar a se mexer e gritam para os amigos; mas já é tarde. Max coloca Cocco nas costas e diz que vai nadar até a terra, mas a Cocker Spaniel Americano diz que não sabe nadar e ele volta atrás.

Começa a chover; Freddy e Dach tentam encontrar uma passagem para o outro lado do rio, sem sucesso. Anoitece, e eles decidem procurar um lugar para passar a noite. Ainda no porto, acham um armazém abandonado e se acomodam. Estão sem sono e Freddy sugere a Dach contar a história de Freddy, o cachorrinho lendário e da Árvore da Sorte, que sua Ai costumava ler para ele. No meio da história, no entanto, Freddy cai no sono...

Max e Cocco estão bem; o marinheiro os levou para a sua casa, deu comida e os colocou para dormir bem aquecidos.

No meio da madrugada, Freddy é acordado pelo barulho de uma estranha figura entrando no armazém: um homem, de sobretudo, chapéu e óculos escuros. Ele tira tudo e vasculha algumas maletas; então coloca uma peruca, vestido de mulher, maquiagem, pega uma bengala e vai para a rua novamente — esperando por ele está um Buldogue, que o recebe com alegria. Freddy acha que conhece o cheiro e os latidos daquele cachorro.

A "velha senhora" passa por um cerco policial e é interceptada por um dos homens da lei: ele quer saber o que ela está fazendo aquela hora na rua, debaixo de chuva. A "senhora" diz que teve que sair porque seu cachorro queria passear... o policial avisa que ela deve voltar imediatamente para casa, pois o perigoso ladrão de joias Panther está na região!

No dia seguinte, Freddy conta para Dach sobre o estranho homem que virou mulher e do cachorro que ele acha que reconheceu. Depois, os dois saem para procurar novamente uma maneira de passar para o outro lado do rio. Eles encontram uma ponte, só que é uma passagem para trens; mas Dach diz que eles têm que ser positivos, não ter medo e seguir em frente. Logo se ouve o barulho de uma locomotiva vindo na direção deles — o experiente Dach mais uma vez diz que não há problemas, pois uma vez quase foi esmagado por "um veículo gigante, daqueles que os humanos usam, mas ele teve medo de me atropelar e não se atreveu!" No entanto, desta vez o veículo gigante não vai parar por causa de um salsicha e de um baixotinho e os dois cachorros têm que sair correndo para não virarem panqueca. Dach corre na frente e vai chegar no outro lado são e salvo, mas Freddy... quando o trem está quase o alcançando, um cachorro aparece do nada e o agarra pelo pescoço, livrando-o da morte certa.

Nas margens do rio, Freddy, que tinha desmaiado, acorda e leva um susto com a carona de um Buldogue olhando para ele. O cachorrão o chama de Alex e Freddy quer saber como ele sabe seu (antigo) nome; o Buldogue pede que o pequeno o cheire, para ver se descobre quem ele é. É Corocorone, do Canil Feliz!  Os dois comemoram o reencontro e, assim como Alex, o Buldogue conta que também mudou de nome: agora se chama Dom Corocorone, mas para os amigos é Dom Coro! Dach se aproxima com cuidado dos dois e é apresentado a Dom Coro. Freddy diz que sempres eles serão amigos, pois Dom Coro salvou a sua vida! A caminho de sua casa, Coro pergunta se Dach e Freddy já comeram; eles dizem que já... ontem.


15. Até Breve

ep 15Freddy e Dach estão na casa de Dom Coro; eles estão se esbaldando com a comida oferecida pelo amigo.

Dom Coro os deixa por um momento, saindo pela portinha de cachorro. Com ares de mafioso — na boca um petisco em forma de charuto — ele ordena que dois cachorros, o Bull Terrier Noppe e o Weimaraner Kowalski, saiam a procura dos amigos perdidos de Freddy, um Boxer e uma Cocker Spaniel Americana (Max e Cocco). Ele é bem específico em dizer que não quer que façam mal aos dois, mas eles devem ser encontrados e trazidos até ele. Noppe e Kowalski parecem bem aterrorizados pelo "chefinho"...

Panther, o dono de Coro, chega e é recebido pelo cachorro com muita alegria. Panther prepara ainda mais comida: um banquete, na verdade. Freddy e Dach começam a comer; no entanto, Dom Coro espera pela sua vez. Panther diz que preparou para ele um prato de arroz, carne de porco e verduras e coloca em sua frente. Coro fica paradinho, Freddy e Dach estão espantados. Então Panther manda o amigo canino bater com a pata na comida: uma pata, outra pata, três vezes, agora as duas patas! Só então, Coro começa a devorar a comida... Freddy comenta que Dom Coro é muito feliz; Dach quer saber o que ele faz o dia todo e Coro diz que fica vendo o rosto do seu papai e o papai olha para ele. Algumas vezes, ele fala coisas para ele, mas o que ele mais gosta é quando o papai diz que "gosta de mim mais do que qualquer um, porque sou um cachorro EXEMPLAR!".

Noppe e Kowalski acham a casa onde estão Cocco e Max.

Na casa de Coro, Freddy e Dach estão sozinhos, com as barrigas estufadas de tanto comer. Coro saiu com seu papai "para resolver assuntos urgentes" e disse para que eles ficassem por ali, pois logo seus amigos estariam de volta.

Noppe e Kowalski acordam Max e Cocco (que estão dormindo ao lado da cama do marinheiro) e demandam que eles os acompanhem. Cocco se recusa; Max acha que eles estão sendo mal-educados porque estão com fome... Cocco os manda embora e Noppe e Kowalski agarram os dois e começam a levá-los à força — até que Cocco morde Noppe! Na confusão, todos saem correndo pela porta, o homem acorda e diz "depois de brincarem, voltem para casa!"

Panther corre furtivamente na rua; ele segura firmemente uma maleta contra o peito. Ali perto, uma meia dúzia de policiais estão seguindo um pequeno cachorrinho farejador chamado Koske, que por sua vez está na pista do ladrão de joias... Panther! Panther assobia e, ao longe, Coro escuta e responde, fazendo com a boca um barulho estranho que Panther reconhece e que os policiais nunca ouviram. Panther vai até onde está Coro e lhe dá seu casaco; em seguida, pula no rio. O cachorro, coberto pelo casaco, entra em um edifício abandonado e começa subir as escadas que vão para o telhado.

A polícia e Koske chegam logo em seguida, na "pista" de Panther; quando o farejador chega ao telhado, só encontra Dom Coro, a quem chama pelo nome. Coro pergunta como Koske o conhece e o cão detetive diz que ele é famoso por aqueles bandas. Os "papais" do farejador chegam logo depois e encontram apenas o casaco de Panther... então, escutam um barulho vindo da direção do rio e quando olham para baixo, vêem Panther fugindo em uma lancha. Coro, penalizado, comenta com o pobre Koske que deve ser difícil trabalhar com papais tão desastrados...

Max e Cocco, trazidos por Noppe e Kowalski, chegam na casa-esconderijo de Dom Coro. Os dois "capangas" sempre apavorados, com medo de levarem bronca do chefinho. Freddy e Dach aparecem na portinha de cachorro e ficam felizes de reverem os amigos; logo também chega Coro (que imediatamente reconhece Max, do Canil Feliz), o que apavora Noppe e Kowalski ainda mais um pouquinho, mesmo quando o chefinho os convida para comerem com ele... De novo, os cachorros estão se esbaldando com MUITA comida; Max "O Faminto", fica bastante satisfeito com o banquete servido.

Freddy pergunta se Panther não se importa e Coro diz que ele lhe dá toda a liberdade de trazer seus amigos caninos para casa, deixando sempre comida disponível; Cocco acha muito bonita a confiança e o amor entre os dois, mas Dach comenta que humanos não são confiáveis. Cocco diz que Dach deve ter medo de se magoar e o Dachshund fica irritado, dizendo que não tem medo de nada! Para alegria de Dom Coro, Panther chega e fica feliz em ver todos os amigos de seu cachorro ali; ele vai preparar mais comida! De repente, Freddy olha para o lado e ali está... Koske.

Freddy e Koske se apresentam e o farejador diz que está esperando seus papais chegarem. Então, a porta é arrombada e vários policiais entram no escondeijo. Panther e Dom Coro conseguem escapar.

Dom Coro está na rua, correndo ao encontro de Panther, que foi pegar o carro. Quando Koske e Freddy tentam interferir, ele os ameaça; Freddy olha magoado para o Buldogue e diz que Coro sabe que Panther está fazendo algo indevido, por isso está agindo daquela maneira. Coro fala para ele não se meter nos assuntos dele e sai correndo quando ouve o carro de seu papai se aproximando.

Freddy insiste e vai atrás de Coro; este ataca Freddy, o deixa caído no meio da rua, e entra no carro que acabou de parar na sua frente. Da janela, ele pergunta se Freddy está machucado, mas Freddy diz que está tudo bem e que será sempre seu amigo não importa o que aconteça e que os dois vão se reencontrar; Coro chora.


16. O Fracasso do Pochi

ep 16Freddy, Dach, Max e Cocco estão caminhando pelo campo quando o faminto Max sente um aroma doce e irresistível; ele, seguido por Dach e Freddy, vai procurar a fonte da comida. Quando encontra, não dá nem tempo do experiente Dach dizer para ficar longe daquilo — Max abocanha a colméia pingando mel e, é claro, enfurece as abelhas. Todos, inclusive a pobre Cocco, pulam no rio para evitar as picadas. O facilmente irritável Dach fica bravo com o impulsivo Max, que para ele não passa de um "estômago com patas" e diz que não quer mais viajar com ele, pis ele sempre está pondo todos em perigo. Cocco pede para que Max peça desculpas pela confusão que causou, mas não passa nem um segundo e o Boxer já está atrás de um novo cheiro de comida... desta vez, geleia de morango. Freddy, Dach e Cocco deixam Max e vão para a cidade sem ele.

Uma família — pai, mãe e filho — estão fazendo um piquenique. Tom, o garoto, tem um cachorrinho pequeno e desanimado chamado Pochi, que não gosta muito de brincar. Perto do rio, Tom acaba caindo na água e é salvo por Max. Tom pede aos pais para ficar com o Boxer e eles concordam, até acharem o dono pelo menos.

Enquanto isso, Freddy, Max e Cocco já chegaram à cidade e estão felizes, fuçando latas de lixo em um beco. A conversa acaba com eles discutindo sobre pertencerem a algum humano, o que Dach acha ser uma bobagem. Freddy e Cocco argumentam que sentem amor por seus donos, que seus corações são unidos a eles; Dach pergunta a Cocco por que então eles a abandonaram depois que o bebê deles nasceu. Cocco diz que a decisão de deixá-los foi dela e ela ama o papai e a mamãe e que Dach não sabe o que é isso porque nunca teve um dono. A conversa termina quando Dach vê uma linda Poodle passeando com seu dono e vai atrás dela... deixando Cocco muito irritada.

Tom brinca com Max — agora chamado de Sansão — em casa. Pochi só olha a cena triste e mais desanimado do que nunca. Logo, é servida a janta: para Max ração com carne, o que deixa Pochi ainda mais desolado. Ele comenta que a recompensa por Max ter salvado Tom de se afogar é que ele vai ficar morando com a família. Max não tinha se dado conta disso, ele pensa na viagem que está fazendo com seus amigos.

Freddy, Dach e Cocco voltam para o campo. Cocco está muito brava (com ciúmes...) e discute com Dach. Freddy nota que os dois sempre estão se bicando e diz que seus corações devem estar unidos — para espanto do dois amigos! O pequeno e inexperiente Freddy se lamenta: "mas o que foi que eu disse de errado?"...

À noite, Tom convence a mãe a deixar Sansão dormir em seu quarto, pois se Pochi tem uma casinha, Sansão tem que dormir no sereno. A mãe cede e o infeliz Pochi, chorando, cava um buraco perto da cerca e foge de casa. Andando sozinho pelas ruas, Pochi relembra seus dias na loja de animais; sem raça definida, era um filhotinho desprezado por todos.

No dia seguinte, Max acorda e vai direto falar com Pochi, que, no entanto, não está em sua casinha. Ele vê o buraco que Pochi cavou e entende que ele fugiu. Quando Tom aparece, Max mostra o buraco; os pais do garoto acham que Pochi fugiu por causa de Sansão e a família toda vai procurar o cachorrinho, deixando um "Sansão" completamente desconsolado sozinho em casa: Max não entende como Pochi pode ter ido embora sem se alimentar, bem como os humanos terem saído antes de darem sua primeira refeição do dia! Algum empo depois, Tom e os pais voltam para casa sem achar Pochi.

Pochi está numa pedra, no meio do rio, com sua carinha triste e um olharzinho suicida.


17. Max se Enfurece

ep 17

Freddy, Dach e Cocco estão de volta ao rio; eles vêem Pochi na pedra, com sua carinha triste e dando a impressão de que quer pular na água. Ele se assusta com as vozes dos cachorros e cai na água; Freddy pula atrás dele, mas está quase se afogando também quando Dach e Cocco vão acudir. Depois de se embolarem todos, eles chegam à margem são e salvos. Pochi diz que não estava querendo se matar, só estava com fome e achou que podia pegar algum peixe. Ele conta sua triste história, de um cachorro Boxer que chegou em sua casa e está tomando seu lugar. Dach diz que vai ajudar Pochi, que ele seja otimista, que vão tocar o outro cão da casa. Cocco fica orgulhosa de Dach e Dach... se irrita.

Freddy, Dach, Cocco e Pochi chegam na casa deste último; Pochi fala para Max que ele deve sair e falar com uns cachorros que ele acabou de conhecer. Max vai até o buraco perto da cerca e dá de cara com seus amigos. Freddy, Dach e Cocco contam que Pochi lhes disse que foi expulso de casa por causa dele. Enquanto isso, Pochi está fazendo xixi em todo o quintal, para marcar seu território "minha casa!, minha casa!, minha casa!" ele repete. Quando Tom vê que Pochi voltou, fica muito feliz. Max diz a Pochi que não tem nenhuma intenção em ficar e que Pochi tem seu valor; não adianta muito, o pequeno cão acha que Tom gosta mais de Max, por ele ser um Boxer e ser brincalhão.

Tom leva Pochi e Max para brincar no parque; Freddy, Dach e Cocco observam de longe. Enquanto Max brinca alegremente de bolinha com Tom, Pochi só fica se lamentando. Ele se aproxima dos amigos viajantes e Dach tenta ensiná-lo a ser um cachorro mais positivo, alegre e brincalhão: sorrir e abanar o rabinho. O sorriso de Dach é lindo; já o de Pochi... é assustador! Pochi tenta entrar na brincadeira, mas mais uma vez sua natureza triste leva a melhor; ele então volta para o lado de Freddy, Dach e Cocco derrotado. Max traz a bolinha para que Pochi a leve para Tom e ele está apático. Perguntam a ele se ele gosta de Tom e Pochi diz firmemente que sim e desabafa: nunca foi ensinado quando filhotinho a brincar, ele não consegue deixar que as pessoas se aproximem dele, lhe façam carinho. Ele se recusa a brincar e Max fica furioso; ele grita que então vai pegar o lugar de Pochi e pergunta se ele se importa, atacando o cachorrinho. Tom vê a cena e fica bravo com "Sansão", manda ele parar e Pochi morde o focinho de Max. Tom corre para resgatar seu cachorro e diz que não quer nada mais com Sansão, que ele vá embora. Tom e Pochi se afastam; Pochi se aconchega no colo do menino e... bate o rabinho e sorri, lindamente.

Freddy, Dach, Cocco e Max estão na estrada novamente; Dach está muito orgulhoso de Max e diz que ele é bem mais do que apenas um "estômago com patas"...


18. Vamos Procurar um Tesouro

ep 18

Freddy, Dach, Max (sempre faminto) e Cocco conhecem o Bloodhound Leão. Ele e seu dono, o garoto Tony, estão à procura de um tesouro numa área onde um prédio deverá ser construído, pois o pai de Tony (um arqueólogo que está doente) tem certeza que ali há alguma coisa valiosa.

O tempo é curto; com o pai acamado, Tony está escavando sozinho o terreno durante à noite, as escondidas, com a ajuda apenas de seu cão. Freddy, Cocco, Max e Dach (que adora cavar buracos, como todo bom Dachshund) ajudam Leão na tarefa, depois de terem ganhado um lanchinho de Tony.

Depois de passarem a noite cavocando, finalmente os cães revelam o tesouro escondido sob a terra: um esqueleto completo de dinossauro!


19. Este é o Caminho que Shibata Escolheu?

ep19

Freddy, Dach, Max e Cocco estão na estrada; Dach lidera o grupo, mas logo se irrita e pede que decidam o caminho a seguir. Quando Freddy o faz — de volta para onde acabaram de vir — ele se irrita mais um pouco...

Freddy, Dach, Max e Cocco chegam a uma cidade; na praça central, está acontecendo uma feira e nela se apresenta uma artista mambembe chamada Alice, vestida de palhacinha. Com ela, fazendo malabarismos em uma grande bola, está o Shiba Inu Shibata, que também passou pelo Canil Feliz; o encontro com Freddy e Max é festivo.

Enquanto isso, não muito longe dali, Ai está pendurando cartazes de "procura-se", com a foto de Alex (Freddy).

Alice, depois de alimentar os amigos de Shibata, diz que eles tem que trabalhar! Ela testa todos no malabarismo, mas o único que tem talento em cima da bola é Dach.

Ai e seu pai estão tomando o trem para ir até a cidade próxima ver "uma palhacinha que tem feito muito sucesso" na feira.

Morando na mesma cidade, outro cãozinho do Canil Feliz: a Shih Tzu Sheena, adotada por um casal de idosos; ela e Shibata eram apaixonados um pelo outro. Sheena está na feira com sua dona e confunde um Buldogue chamado Bruto com Alex (como ela conhecia Freddy no Canil). Bruto, muito metido, diz que duvida que exista um cachorro tão forte e elegante como ele...

Logo depois, Bruto encontra Freddy e comenta com ele sobre a Shih Tzu que o confundiu com um Buldogue Francês chamado Alex, acrescentando que não entende como "se sou mais bonito e elegante do que você"... Freddy e Max concluem que só pode ser Sheena e saem correndo para procurá-la, deixando Bruto incoformado de ter sido confundido com alguém "tão feio"...

Ai e seu pai chegam à feira; ela escuta um menino falar sobre a malabarista e um buldogue e corre até Alice, mas quando chega até ela, só vê Shibata. Ela lembra dele, de tê-lo visto no Canil Feliz e Alice diz que Shibata foi um presente do ex-namorado. Ai mostra o cartaz de procura-se e Alice diz que viu aquele cachorrinho. Ai sai à procura de seu amado Alex (Freddy).

Freddy e Max, acompanhados de Cocco e Dach, estão procurando Sheena, a encontram e a levam até Shibata. Freddy sente o cheiro de Ai; ela esteve ALI!

Ai procura Alex; Freddy procura Ai. Ai encontra o Buldogue metido Bruto e, por um momento, pensa que é Alex. O pai conclui que Alice viu Bruto e pensou que fosse o cachorro do cartaz. Está na hora de voltar para casa; eles se dirigem para a estação de trem. Freddy, seguindo o cheiro, consegue ver sua querida Ai embarcando no trem; ela não o vê.

A dona de Sheena simpatiza com Alice e seu cachorrinho e os convida para jantar em sua casa. Sheena e Shibata estão juntinhos novamente, na casinha de cachorro. Mas Sheena derruba uma lágrima — ela sente que nem tudo serão rosas.


20. Adeus e Olá

ep 20Shibata tranquiliza Sheena, dizendo que ficará com ela para sempre; a cachorrinha lembra de Alice, "daquela pessoa" que logo terá que ir embora, e ele se dá conta que não havia pensado nisso. Sheena diz que não pode abandonar a velhinha e o marido dela e ele, como vai deixar de acompanhar sua dona?

No dia seguinte, Freddy está no mesmo local por onde Ai passou, achando que ela pode voltar.

A dona de Sheena a encontra tristonha e resolve levá-la para passear, para ver Shibata na feira uma última vez. No meio do caminho, Sheena se recusa a continuar; prefere não ver Shibata nunca mais. Freddy, Max, Cocco e Dach a encontram e ela fala sobre sua decisão.

Shibata não consegue realizar seus malabarismos direito e Alice decide terminar mais cedo. Shibata deixa Alice e corre para Sheena; no caminho, encontra Freddy, Max, Cocco e Dach e fala de sua preocupação com Alice, que ficará sozinha, e segue para a casa da namorada. Dach — que sabe se equilibrar em cima de uma bola — comenta que ele pode seguir com Alice.

Shibata chega à casa de Sheena e conta que deixou Alice para ficar com ela. Logo, Alice chega também; na hora de ir embora, Shibata se recusa a ir com ela. Alice aceita e pede que a senhora adote Shibata, dizendo que é melhor do que uma vida na estrada. Freddy, Max, Cocco e Dach aparecem e Dach pede permissão a Shibata para ficar com Alice; ele está apaixonado pela bela garota humana...

Dach alcança uma Alice desolada; batendo o rabinho, ele se aproxima dela. No entanto, a garota não o aceita, pois está muito magoada por ter perdido seu amigo canino e não quer mais saber de cachorro.

Enquanto isso, tanto Sheena quanto sua dona percebem que Shibata está muito triste por estar longe de Alice. Sheena diz para Shibata que "não o suporta" e ele agradece, pois entende que ela o está liberando para ir atrás de sua amada dona.

Dach, tristonho, conta para Freddy, Max e Cocco que é a primeira vez que se sentiu como se estivesse prestes a ter "sua doce Ai". Ele então decide tentar mais uma vez e se despede dos amigos, dizendo a Cocco que cuide dos rapazes, e que da próxima vez que se encontrarem espera que Freddy esteja mais maduro. Ele está partindo quando Shibata aparece e diz que mudou de ideia, para desconsolo do baixinho Dach.

Quando Alice já está no trem, Shibata aparece correndo e salta, pela janela, para os braços da amada dona.

Freddy, Max e Cocco tentam consolar o tristinho Dach, mas, como sempre, ele banca o forte, dizendo que não foi feito para ser cuidado por um humano. Quem está inconformado com a separação do casal é Freddy; ele não entende porque Shibata não quis ficar com Sheena, se eles se amavam tanto. Freddy e Max, ainda filhotes, não conheceram o amor e não entendem muito bem o que aconteceu. Cocco tenta explicar a eles que ninguém quer uma pessoa ao seu lado suspirando, triste, que é preferível vê-la feliz o tempo todo — e assim quis Sheena.

Em sua casinha, Sheena está sozinha; ela chora.

Freddy, Max, Cocco e Dach estão de novo na estrada — e de novo surge a discussão de que caminho seguir. Freddy diz que quer ir até Ai e Dach se irrita porque se eles soubessem o caminho... Já Max quer ir para onde tenha MUITA comida, é lógico, e Dach se irrita mais um pouquinho... Cocco diz então para Dach escolher a direção a ser tomada e o salsicha até estranha ela estar "tão boazinha". Quando ele segue em frente, Cocco fala para ela mesma "tenho certeza que um dia ele vai encontrar o verdadeiro amor"; quando Dach pergunta se ela disse alguma coisa, Cocco desconversa: "não, nada...!", revirando os olhos...


21. Quem é Yupi?

ep21

Está chovendo muito; Freddy, Dach, Max e Cocco chegam a um grande casarão que parece estar vazio e entram para passar a noite. Logo percebem que há algo de errado naquela casa — ela é assombrada! No meio da noite, aparece um ser estranho e começa a persegui-los; entre relâmpagos e trovões, tudo parece realmente muito assustador.

No dia seguinte, a chuva para e o sol aparece. Os cachorros acordam e percebem que o "monstro" que os perseguiu a noite inteira não está se movendo e se parece muito com um cachorro. Cocco já fica com dó e tenta se aproximar; a única coisa que ele fala é "bateria avariada! bateria avariada!" Dach nota que ele tem uma coisa ligada a ele, que, segundo sua experiência, deve ser colocada em dois orifícios na parede. Assim que o plug está na tomada, a coisa ganha vida: é um cachorro robô! E ele não para de repetir "Bem vindo a esta casa! Hoje também foi um dia de muito trabalho! Au au au".

Porém, logo o robô entra em curto-circuito e começa a voar pela casa feito louco, soltando fumaça. Até que chega em casa o dono (um cientista que é a cara do Albert Einsten), chamando por Yupi, o cachorro robô. Ele o conserta e Yupi volta ao seu normal: "Bem vindo a esta casa! Hoje também foi um dia de muito trabalho! Au au au".

Quando Freddy, Dach, Max e Cocco estão indo embora, Yupi vai atrás deles; seu dono o chama e ele fica dividido. O cientista fala que tem certeza de que eles (os cachorros) voltarão a se encontrar um dia e que agora Yupi deve voltar. Dach diz: "observem bem isso, isso é o que chamam de os melhores amigos!"


22. Um Encontro Especial

ep 22

INVERNO. Freddy, Dach, Max e Cocco continuam sua jornada. Por causa da neve e do frio, o pequeno Freddy fica muito doente e ele e Max se abrigam à beira da estrada, enquanto Dach e Cocco saem para procurar ajuda.

Pela estrada, um fusquinha vem vindo e Max se coloca na frente do carro para fazê-lo parar. O motorista desvia e sai da estrada para não atropelar Max. Ele corre para ver se machucou o cachorro e Max o leva até o pequeno Freddy. O rapaz do fusca é um veterinário e a pé, já que o carro atolou, corre com Freddy e Max até seu consultório. Lá ele tira a temperatura de Freddy, se apressa em aumentá-la para evitar hipotermia e aplica soro. Max, ajudando a segurar Freddy na hora da colocação do soro, acaba sendo mordido na pata e o veterinário trata disso também. Depois, o alimenta.

Max nota que na clínica tem outros cachorros — presos em gaiolas. Eles reclamam e chamam por seus donos. O veterinário os apresenta a Max: Poron (Lulu da Pomerânia, muito doentinho), Marcô (Maltese, doentinha) e Bright (Spitz Japonês, que está na clínica porque seu dono viajou).

Dach e Cocco chegam na clínica e espiam pela janela; Dach, vendo cachorros em gaiolas, acha que Max e Freddy estão em perigo e devem ser resgatados. Eles conseguem entrar quando uma cliente chega levando Yoko, uma Yorkshire Terrier. Ao veterinário, ela reclama que Yoko não está comendo.

Dach encontra Max e diz que devem sair dali o mais rápido possível, Mas Max fala que o homem é bom e está ajudando Freddy. Cocco concorda, sente que o amigo já está com um cheiro normal, não de doente.

O veterinário diz a dona de Yoko que ela não está doente, mas sim que está sendo alimentada demais e que precisa fazer exercícios diários, passeios; ele a dispensa de pagar a consulta e a aconselha comprar um tênis... a dona se ofende e vai embora.

O veterinário encontra mais dois cachorros em sua sala e lhes dá comida... e também a diversos cachorros e gatos que aparecem em sua porta.

Freddy acorda; já está bem. Os cães nas gaiolas estão reclamando, querem ir embora e Max os acalma, dizendo que o homem que está cuidando deles é muito bom. Logo o dono de Bright chega para buscá-lo — e o veterinário não quer cobrar a estadia. O homem, no entanto, lhe dá bastante dinheiro, pois sabe que o veterinário ajuda os animais de rua.

Max se mostra um bom ajudante de veterinário: ele continua conversando com Poron e Marcô, assegurando que tudo vai ficar bem. Poron diz que quando sair dali, vai mostrar um lugar perto dali, "onde tem um lindo rio cheio de flores com um perfume delicioso". De repente, o pequeno Poron começa a sentir dores muito fortes no estômago e Max corre chamar o veterinário, que está fora.


23. Os Melhores Camaradas

ep 23INVERNO. Max encontra o veterinário tentando desatolar o fusca. O homem entende o que o cachorro quer e volta correndo para a clínica.

Dach solta Poron (ele é bom em lidar com trancas). O veterinário chega e Max garante a Poron que logo ele se sentirá melhor, assim como aconteceu com Freddy. O veterinário dá a Poron uma injeção e a dor passa na hora. No entanto, Freddy sente um aperto no coração, ele está muito triste e não sabe porque. Max, ao contrário, está confiante, pois o bom homem tratou de Poron e ele há de ficar curado.

O veterinário telefona para o dono de Poron; ele parece desapontado com a resposta que recebe quando pede para que ele venha o mais depressa possível até a clínica. Poron foi abandonado.

Quando o veterinário vai colocar Poron de volta na gaiola, o filhotinho demonstra que quer ir lá fora, brincar na neve. Freddy, Max, Cocco e Dach correm com ele, alegres; então, Poron pede que passem para ele a bola de futebol que está em jogo... e cai imóvel na neve. Ele está morto.

Max fica revoltado. Ele tinha tanta confiança naquele homem! Ele sai correndo para longe daquele lugar. O veterinário, junto com Dach, Freddy e Cocco, enterra o pequeno Poron.

Max vai até o rio onde, na primavera brotam "flores com um perfume delicioso" e diz que gostaria de vê-las "com você, Poron". Então, ele lembra de Marcô — ela está em perigo naquele lugar e precisa ser resgatada! Ele volta à clínica — o veterinário está novamente fora, tentando desatolar o fusca — e tenta abrir a gaiola da cachorrinha para ela voltar para casa, apesar dos apelos em contrário de Freddy; já o sempre desconfiado Dach decide ajudar Max e abre a gaiola para ele.

Quando eles estão saindo, o veterinário chega de carro. Marcô vai em direção ao rio congelado e o homem, atrás dela. O gelo se parte e ela cai na água gelada e logo depois, o veterinário também. Max os salva; o veterinário entende que Max fez o que fez porque não sabia que a doença de Poron não tinha cura e Max entende que o veterinário fez tudo o que podia ter feito por Poron.

O veterinário leva todos os cães para a clínica; Max deita ao lado do sofá onde ele está dormindo. O homem então pede que Max se deite ao lado dele, debaixo da coberta.

No dia seguinte, Freddy, Dach e Cocco estão na estrada novamente. Eles sabem que o melhor para Max é ficar com o veterinário. Max acorda e, não encontrando seus amigos, pergunta a Marcô onde eles estão e ela conta que foram embora. Max corre atrás deles; e o veterinário logo aparece de carro à sua procura. Dach diz que ele é seu melhor amigo e Freddy diz que é melhor que Max fique com ele. Max fala triste que então é uma despedida; mas Dach diz que não, que eles voltarão a se ver e Freddy concorda. O veterinário buzina e Max corre até ele; eles se abraçam. O homem pensa que o que ele queria não era um carro novo, com aquecimento — o que ele realmente procurava era "AMIGO como você, Max."


24. O Cachorrinho que Estava Apaixonado Pela Gatinha

ep 24INVERNO. Freddy, Dach e Cocco conhecem Zenji, cachorrinho apaixonado pela gata Rainha; enquanto se hospedam em sua casa (e se esbaldam com o dispensador  automático de ração deixado pelo dono de Zenji, que viajou), os 3 viajantes caninos ajudam o cachorrinho apaixonado a conquistar Rainha.

Rainha é constantemente atacada por corvos. O gato que pretende ser seu namorado, leva uma surra deles e se manda. Zenji fica desesperado; ele quer aprender a subir na árvore para salvar sua amada. Ele tenta, tenta e tenta, até que consegue. A gata está sendo massacrada pelos corvos e Zenji os põe para correr. Ele fica contente, mas acaba caindo do telhado quando a gata diz que eles só podem ser bons amigos.

Mas Zenji não desiste; ele continua tentando subir na árvore, para poder conquistar sua amada!


25. Jackie, O Cachorrinho Gênio

ep 25

INVERNO. É Natal. Freddy, Dach e Cocco chegam a um povoado e encontram na rua um Jack Russell Terrier que se apresenta a eles como "Jackie, O Cachorrinho Gênio". Apesar do nome, Jackie é muito ingênuo e fala de um modo bastante formal, o que irrita o irritável Dach. Os viajantes comentam que estão com fome e Jackie se oferece para levá-los a um lugar onde sabe que tem comida.

Em um terreno baldio, eles desenterram muitos ossos, mas a alegria dura pouco, pois dois cachorrões grandes e bravos (um Malamute do Alaska e um Pointer Inglês) aparecem se apresentando como donos dos ossos  — e do território.

Os quatro escapam dos valentões quando o dono de Jackie, o palhaço Capitão, aparece de motoneta; ele estava a procura de seu cãozinho fujão. Jackie é artista do CircoArco-Íris e, apesar de viver com vários animais selvagens desde que nasceu, nunca havia convivido com cachorros.


26. A Princesa Tomiko

ep 26INVERNO. Freddy, Dach e Cocco estão exaustos e com muita fome. Para piorar a situação, começa a chover. Dach desmaia; ele está com muita febre. Freddy corre até uma casa nas proximidades e pede ajuda. Ele é atendido por Airi (Setter Irlandês, um cachorro metido a mordomo. Ele diz que não pode dar-lhe comida, pois tem muito pouco na casa; até que uma Sharpei fêmea aparece e manda Airi oferecer sua própria refeição, pois ela diz que já havia se alimentado bem no almoço. A Sharpei é a Princesa Tomiko, que convida Freddy, Cocco e Dach para se hospedarem na casa, onde mora com o Airi e a Himechin (Spaniel Japonês). Os três cães estão abandonados à própria sorte, pois seu dono (um jovem motoqueiro que ama seus cachorros) simplesmente um dia saiu de casa e nunca mais voltou.

O namorador Dach, recuperado do desmaio e comendo um suculento bife oferecido por Tomiko, se espanta com a feiúra da cachorra. Ele fica horrorizado quando ela demonstra um interesse especial por ele. Tomiko preza muito a amizade e a soliedaridade; ela oferece a Freddy e Cocco os dois últimos biscoitos da casa. No dia seguinte, ela, Airi e
Himechin vão até o povoado e se exibem na rua em troca de comida — com sucesso. Freddy vê a cena e se comove.

Dach continua com seu comportamento execrável — se aproveitando da bondade (e da comida) que Tomiko lhe oferece, mas a rejeitando por achar ela muito feia. Freddy e Cocco se irritam; para mostrar que Tomiko não é rica, eles levam Dach até o povoado onde Tomiko (junto com Airi e Himechin) está se exibindo para um grupo de pessoas em troca de comida; Dach fica sem jeito ao saber que Tomiko faz isso por ele. Airi, que é apaixonado por Tomiko, resolve finalmente desafiar Dach pelo amor da Princesa. Dach diz que não vai lutar e vai embora com Freddy e Cocco. Tomiko e Airi se acertam — ela confessa que sempre gostou dele também.


27. O Tesouro de Cocco

ep 27INVERNO. Em suas andanças, Freddy, Dach e Cocco acabam no parque em que conheceram Cocco. Ela está triste, com muitas saudades de seus donos. Dach resove dar uma animada e sugere que ela e Freddy vão conhecer o mar, que fica ali perto. Os três se divertem bastante e na manhã seguinte Cocco decide que está na hora de voltar para casa. Ela tem medo que seus donos não a queiram mais, mas vai de qualquer modo.

No caminho, os 3 amigos veem colados nos postes o retrato de Cocco, num cartaz de "procura-se". Chegando em frente de sua casa, Cocco fica do outro lado da rua observando o movimento. Quando seus donos veem Cocco, correm para ela, a pegam no colo cheios de felicidade; o bebê está crescidinho (já fala) e também recebe a cachorrinha com alegria. Freddy e Dach, do outro lado da rua, choram de emoção e decidem partir, deixando Cocco com sua família.


28. O Cachorrinho em Frente à Estação

ep 28INVERNO. Freddy e Dach, agora sem Cocco, continuam sua viagem à procura de Ai, a querida dona de Freddy. Eles chegam a um povoado e, em frente à estação ferroviária, conhecem Rikyu, um Akita Inu já idoso, que diz estar esperando pela volta de seu companheiro. Quando um funcionário da estação aparece com comida e água, Rikyu divide o jantar com Freddy e Dach. Os três seguem então para a cabana onde Rikyu mora com seu dono; ele conta que os dois sempre foram muito amigos e que o homem já o levou para muitos lugares diferentes. Dach estranha o estado em que a cabana se encontra — parece estar abandonada há muito tempo. Rikyu revela que na última vez em que seu amigo esteve ali, havia flores no jardim e estava quente.

Dach e Freddy saem para passear no povoado. Dach diz que Rikyu foi abandonado por seu dono, mas Freddy não concorda. Os dois encontram dois cachorros de rua, Shunaemon (Schnauzer Standard) e Wang (Chow Chow) e eles contam que o dono de Rikyu morreu atropelado.

Freddy e Dach voltam para a cabana, para dormir na casinha de cachorro de Rikyu, enquanto que este vai para a estação esperar seu companheiro. Está muito frio e começa a nevar. Freddy está revoltado com o fato de ninguém contar para Rikyu que seu dono está morto. Dach diz que é assim que tem que ser, mas Freddy não aceita e corre para a estação para falar com Rikyu. Chegando lá, ele se comove com o velho cão, tossindo muito, na neve, olhando com esperança para a estação de trem, e perde a coragem. Rikyu nota o cãozinho e pergunta se há algo errado com seu dono, mas Freddy sai correndo. Dach o encontra e Freddy diz que ele tinha razão, que não devia contar nada.

Dach revela que sabe que Rikyu está morrendo. Freddy então lembra de sua querida Ai e entende que, enquanto seus corações estiverem unidos, eles sempre estarão juntos; ele agora tem certeza que Rikyu vai ver seu dono novamente. Ele corre para a estação e fica ao lado do velho cão (que revela que, no fundo, já sabia que seu dono estava morto); Dach se junta aos dois. Neva muito. Os trens chegam, as pessoas desembarcam, a estação fecha. De repente, as portas se abrem novamente e uma luz muito forte passa por ela. Rikyu está morto e seu amado companheiro humano finalmente voltou para ele. Os dois embarcam no trem e partem para sempre, deixando Freddy e Dach emocionados. 

Episódio baseado na história real de [Hachiko], o Akita japonês que esperou por seu dono na estação de trem por muitos anos, até morrer bem velhinho.


29. A Valiosa Presença de Sanpee

ep 29PRIMAVERA. Freddy e Dach estão atravessando uma ponte quando a madeira podre cede e Dach cai no rio. Ele é salvo por Labre (Labrador preto), que depois os leva até sua casa e oferece comida. Labre, um cão de resgate aposentado, agora trabalha como cão de terapia; um dos casos em que Labre trabalha é de uma menina deprimida com a morte de seu amigo canino Shetlan (Pastor de Shetland).

Na instituição onde Labre mora (dirigida por um homem e sua filha), há muitos cachorros, a maioria recrutados pelo próprio Labre para o trabalho de terapia. "Hospedado" no lugar está também Sanpee (Welsh Corgi Pembroke) que, a primeira vista, não faz nada além de correr, tomar sol, passear e dormir.

Mas Sanpee, na verdade, é muito sábio. Ele se comunica com Freddy por telepatia e o ajuda com a menina que perdeu Shetlan (e que não quis aceitar a ajuda de Labre). Ela se abre para Freddy, diz que se sentia culpada pelo atropelamento de Shetlan e por isto não queria se aproximar de nenhum outro cachorro e vivia triste. Sanpee diz que Freddy é muito mais do que um cão de terapia, sua responsabilidade é muito maior; Freddy é um cachorro de sorte e será o único a oferecer tranquilidade a todas as pessoas amigas.


30. Por Fim Voltamos a Nos Ver

ep 30PRIMAVERA. A mamãe de Freddy está em trabalho de parto; seu dono e o dono do Canil Feliz a observam. Quando Freddy nasce, uma estrela cadente cruza o céu. Mais tarde, mamãe descansa ao lado de sua bela ninhada.

Dach tem a brilhante idéia de pegar um táxi e ele e Freddy vão parar perto da casa de Ai — Freddy segue a pista com seu faro e finalmente reencontra sua amada dona. Ele volta para casa com ela; Dach fica ao mesmo tempo feliz com o reencontro e triste porque isto significa perdeu o companheiro de viagem. À noite, Ai lê para seu Alex (como ela chama Freddy) o livro As Aventuras de Freddy, onde está escrito que a Árvore da Sorte é a protetora do amor.

Agora só, Dach perambula pela cidade e percebe que alguma coisa errada está acontecendo: muitos cães abandonados, muitos humanos tratando mal ele e até mesmo seus próprios cachorros — é uma nuvem negra se aproximando. Ai vai passear com Alex/Freddy no parque e, de repente (influenciada pela nuvem negra), amarra o cachorrinho em uma árvore e vai embora. Freddy fica assustado e para piorar as coisas, o sombrio Freezer (Husky Siberiano que enfrentou o velho Ryoma) aparece para dizer que sua dona nunca mais voltará; ele ainda conta que seu território está um caos, com muitos cachorros que foram abandonados por seus donos e que não entendem as regras dos cães de rua. 




SALVANDO A ÁRVORE DA SORTE




31. Uma Nova Aventura

ep 31PRIMAVERA. Freddy, ainda preso à árvore onde Ai o deixou, tem uma visão: centenas de cães suplicam por sua ajuda, enquanto a Árvore da Sorte queima. Depois de um tempo, Ai volta ao parque para buscá-lo.

Na clínica onde Max está morando, o veterinário que o adotou está preocupado: donos de cães que estavam em tratamento não querem ir buscá-los. Também no Canil Feliz, filhotes de cachorro são abandonados na porta da loja, para a tristeza do dono. Eiji (Pastor alemão) comenta com a gata Grace sobre a lenda da Árvore da Sorte.

Ai e Alex/Freddy vão passear no campo, de bicicleta. Na volta, a neblina escura aparece e Ai corre demais, derrubando Alex da cestinha; ela nem liga e segue adiante. Antes de chegar em casa, ela se recupera e volta para pegar Alex.

Eiji é perseguido por cães policiais; eles o atacam e Eiji fere a pata.

À noite, dormindo com Ai, Freddy tem nova visão — novamente centenas de cães pedem sua ajuda, chamando-o de cachorrinho lendário, título que ele recusa. A neblina escura é a responsável por "sujar os corações humanos".

Eiji encontra-se com o velho Ryoma (na casa deste último) e eles falam sobre a lenda da Árvore da Sorte. Ryoma confirma que quem deve salvar a Árvore da Sorte é Freddy, que é o cãozinho lendário.

À noite, Freddy tem uma nova visão; desta vez é Ai que se sente sufocada pela neblina escura. Ela pede perdão a Alex, diz que está tentando lutar contra o sentimento ruim que cresce dentro dela, mas está difícil. A Árvore da Sorte está secando. De manhã, quando acorda, Ai se assusta em ver um “cachorro” em sua cama e, junto com sua mãe, o põe para fora de casa.

Eiji encontra Dach e pergunta se ele conhece Freddy. Dach não quer que Eiji incomode Freddy, que agora está bem com sua dona. Eles brigam. Freddy aparece e Eiji fala para ele que ele tem um dom especial, que ele é o cachorrinho lendário e que deve salvar a Árvore da Sorte. Do contrário, os humanos deixarão de amar seus cães e Ai jamais vai querê-lo de volta. Freddy acaba aceitando a missão e parte com Dach; Eiji, muito machucado, fica sob os cuidados do dono do Canil Feliz e ao lado de sua amiga, a gata Grace.


32. Ânimo, Freddy

ep 32PRIMAVERA. Panther foge da polícia, com a ajuda de seu fiel amigo canino Dom Coro. Eles chegam ao esconderijo e Panther pede que Coro fique de guarda, enquanto ele prepara algo para comerem. Mas a neblina escura toma conta do coração de Panther e, quando Dom Coro late para avisar que a polícia está chegando, Panther o despreza; o ladrão consegue fugir pulando no rio, mas não sem antes levar um tiro. Dom Coro sai a procura de seu amado papai e o encontra em um ferro velho, dentro de um ônibus em ruínas. Panther manda o cachorro embora, o que deixa Dom Coro arrasado.

Junto com Noppe e Kowalski, ele decide consultar um sábio que vive em uma montanha (sua cara está esculpida na pedra e uma bandeira tremula lá no alto!). Em troca de algumas guloseimas em forma de charuto (propina...) do estojinho que Dom Coro sempre carrega no pescoço, o Sábio fala sobre a lenda da Árvore da Sorte e diz que um cachorrinho chamado Freddy tem a missão de salvá-la. Dom Coro entende que o seu amigo Freddy é cachorrinho lendário e passa a procurá-lo, junto com Noppe; Kowalski é mandado montar guarda ao lado da carcaça do ônibus onde se esconde Panther.

Enquanto isso, Freddy e Dach estão indo até a Árvore da Sorte; o único problema é que eles não tem a menor idéia onde ela fica! Freddy tem a ideia de procurar Bernardo, que já lhe tinha dito que ele teria uma missão a cumprir. No caminho, os dois são perseguidos por cães policiais; eles conseguem escapar e reencontram sua amiga Kammy. Ela conta que muitos dos seus amigos foram perseguidos e presos. Conta que os cachorros, abandonados por seus donos, começaram a roubar comida para sobreviver e os humanos decidiram então prendê-los em grandes canis coletivos (campos de concentração...). Dach decide seguir com Kammy e tentar libertar os cães; Freddy acha que deve continuar sua jornada até a Árvore da Sorte, pois precisa salvar sua dona Ai.

Dach e Kammy, a caminho do canil, acabam sendo interceptados por um dos cães policiais (o Dogue Alemão); já Freddy é atacado por outro cão policial (o Schnauzer Gigante), mas é salvo por não menos do que a gata Grace!


33. O Valor que Meus Amigos me Deram

ep 33Freddy se arrepende de ter deixado Duch e Kammy e volta para ajudá-los; mas é tarde. Quando ele chega, os cães policiais estão capturando um cachorrinho e, quando ele é colocado na carrocinha, Freddy vê que Duch e Kammy estão presos.

Sozinho, com fome e assustado Freddy continua seu caminho, notando que todas as casinhas de cachorro por onde passa estão vazias. Em um beco, ele encontra Pugbou (Pug) apavorado. Ele se recusa a ajudar Freddy, dizendo que se ao menos o Freddy lendário aparecesse... Pugbou vai embora, e Freddy passa a noite sozinho; ele chora, diz que não é o cachorrinho lendário e chama desesperado por Dach.

Dach e Kammy são levados para o canil-prisão, onde encontram Martaff (o Dobermann), o amigo que Kammy queria salvar, deixando o namorador Dach bastante decepcionado. Ryoma também está preso.

No dia seguinte, continuando sua caminhada, Freddy vê que a carrocinha capturou Pugbou — e este implora por socorro. Dois cães da polícia canina totalitária (Dogue Alemão e Schnauzer Gigante) veem Freddy e o perseguem, mas ele é salvo por Dom Coro e Noppe. Freddy conta a Dom Coro que ele conseguiu reencontrar Ai, mas ela começou a se comportar de uma maneira estranha e que ele decidiu ir até o povoado Taner conversar com Bernardo sobre a lenda da Árvore da Sorte. Dom Coro diz que seu papai também está se comportando de maneira estranha e por isto estava à procura de Freddy, o cachorrinho lendário. Freddy diz que apenas tomou o nome de Freddy, do livro que Ai costumava ler para ele, mas que tentará fazer de tudo para salvar o amor de Ai por ele. Mas antes de ir ao povoado Taner, ele tem que resgatar seus amigos do "campo de concentração". Dom Coro não concorda, ele quer ir falar com Bernardo, pois o que mais lhe interessa é salvar seu "papai". Freddy segue em frente e Dom Coro, junto com Noppe, logo o alcança, pois Coro acha que a amizade é uma coisa muito importante e não vai abandonar Freddy.

Eles chegam ao canil-prisão e, enquanto Dom Coro distrai os cães policiais, Freddy abre o portão, libertando Dach, Kammy, Martaff e mais uma centena de outros cães. Eles se dirigem para as montanhas; com os cães policiais em seu encalço, os cachorros se veem diante de uma ponte pênsil bastante assustadora. Com medo de atravessar, Pugbou comenta que se ao menos o cachorrinho lendário estivesse por ali... É então que Freddy toma a decisão: ELE VAI SE TRANSFORMAR NO LENDÁRIO FREDDY. Com coragem, ele atravessa a ponte, mostrando que ela é segura para os outros passarem. Quando Dach, o último a atravessar, está no meio do caminho, Dom Coro chega e começa sua travessia, ainda com os cães policiais atrás dele. A ponte cede e desaba; Coro se agarra aos destroços e os cães o puxam para a segurança, deixando a polícia canina furiosa do outro lado.

São e salvos, os cachorros deitam-se, admirando o céu, de onde surge um raio de luz que ilumina a todos.


34. A Decisão de Corocorone

Freddy parte com Dom Coro, Noppe e Dach, mas logo surge o velho dilema de que caminho tomar e, é claro, Dach acha que sabe mais do que os outros e decide seguir sozinho.

Dach encontra em seu caminho um coelho e parte para a caçada; entra na toca do bicho... errado, entretanto, e acaba com o focinho cheio de espinhos e um porco-espinho muito irritado o encarando feio!

Enquanto isso, Kowalski (expulso por Panther do ônibus onde está escondido e muito ferido) alcança Freddy, Noppe e Dom Coro. Ele dá as más notícias para o chefinho, deixando-o bastante preocupado com seu papai.

A caminho da fazenda onde vive o sábio Bernardo, Corocorone e Noppe (Kowalski não vai com eles) correm a toda velocidade e Freddy, não conseguindo acompanhar o ritmo dos dois, fica para trás; Dom Coro volta e passa a carregar o filhote em suas costas.

Quando chegam a um rio, eles tentam atravessá-lo, mas para Freddy é muito difícil e ele começa a se afogar. Dom Coro, tentanto ir até ele (e ele mesmo tendo muita dificuldade) tem uma visão rápida de seu amado papai Panther ferido e logo em seguida bate a cabeça em uma pedra. Neste momento, Dach chega ao rio, vê Freddy em apuros e corre para ajudá-lo. Dom Coro e Noppe saem do rio e Coro decide ir até a fazenda falar com Bernardo, sem levar Freddy.

Dom Coro e Noppe chegam à fazenda e lá encontram o sábio São-bernardo Bernardo, a Labrador Retriever Jess e seu filhote Kinta. Ele se apresenta como sendo Freddy, o cachorro lendário, mas Bernardo não acredita. Dom Coro agarra Kinta e ameaça matá-lo se Bernardo não disser onde fica a Árvore da Sorte — a única maneira de salvar seu querido papai Panther da morte. Bernardo não cede e Jess leva Kinta para longe de Dom Coro; quando este está indo embora, nota que Bernardo tem no pescoço uma pedra, que parece ser especial — e é mesmo, é a Pedra Protetora. Dom Coro então a arranca do pescoço do sábio. A Pedra cai no chão e fica vermelha, irradiando uma luz muito forte. Dom Coro coloca a Pedra no pescoço e a luz vermelha o involve; ele fica com um aspecto terrível, com ódio em seus olhos. Bernardo ataca o Buldogue Coro, mas este o joga longe, ferindo bastante o enorme São-bernardo.

Ainda envolto pela luz vermelha, Coro vai embora. Ele uiva para a lua cheia, ameaçador.*

*Resumo baseado no episódio em japonês


35. As Palavras do Patriarca

ep 35Dach se desespera ao ver o amigo Freddy se afogando, sem nada poder fazer. Por sorte, Freddy fica preso em um galho de árvore e Dach o tira da água; ele acha que o amigo está morto.

Dom Coro está com a Pedra Protetora e segue sozinho; a Pedra exerce nele uma influência maligna, já que não é destinada a ele e sim ao cachorrinho lendário Freddy. Mesmo assim, ele tem crises de consciência, sente-se culpado em ter abandonado Freddy no rio.

Freddy e Dach chegam ao povoado Taner, ao celeiro abandonado onde vivem Bernardo, Jess e Kinta. Noppe ainda está por lá e fica surpreso ao ver que Freddy não morreu afogado.

Bernardo revela que Coro roubou a Pedra Protetora. Esta Pedra será necessária para dar vida a Árvore da Sorte; se ela secar, a neblina escura se expandirá e os humanos não mais se importaram com os cães, gatos, plantas e flores. No final, nem a humanidade sobreviverá.

Bernardo confirma que Freddy é o cachorrinho lendário e que ele deve salvar a Árvore da Sorte. Não adianta Dom Coro estar com o cristal, pois se usá-lo, a situação ficará pior, a Árvore vai morrer. Bernardo diz que foi o próprio Freddy que decidiu dar-se este nome e "os nomes e as palavras levam os desejos de todos que habitam este mundo; pensamentos se transformam em força". Freddy não quer acreditar que seu amigo Coro o tenha traído; ele acha que se Coro pegou a Pedra, ele teve algum motivo. Bernardo diz para Freddy não guardar ódio em seu coração, pois daí o poder da Pedra não funcionará. O velho cão está exausto e volta a dormir.

Dom Coro está em conflito consigo mesmo; quando vê sua imagem refletida em um rio, ele se chama de traidor. Mas lembra que o que está fazendo é para salvar seu amado "papai".

Dach e Freddy devem continuar a jornada, mas ainda não sabem para onde devem seguir. Eles encontram Noppe e Kinta lembra que ele estava junto quando Bernardo, por engano, contou a Dom Coro qual era o caminho para a Árvore da Sorte. Depois de pedir muito, Noppe concorda em guiar Freddy e Dach — mas na verdade o que faz é só enrolar, até levar uma surra de Dach.

Dom Coro já enxerga, ao longe, a Árvore da Sorte. Ele corre e corre, mas nunca a alcança.

Noppe revela que depois de Coro pegar a Pedra de Bernardo, passou a agir de forma estranha e o abandonou. Freddy diz que se Coro usar a Pedra, vai morrer; que ainda o considera seu amigo e quer salvá-lo. Diz que prefere ser traído do que trair. Noppe fala que estava enrolando porque queria ajudar seu amado chefinho, apesar de tudo; mas se é para salvar Dom Coro, ele vai dizer a verdade sobre a localização da Árvore da Sorte.

Dom Coro é encurralado por cinco cães policiais; eles tentam pegar a Pedra mas Coro diz que precisa dela para salvar seu papai. Os próprios cães estão confusos, dizem que só estão fazendo aquilo por ordem dos humanos, apesar de sentirem que é errado. Coro luta com os cães policiais bravamente e acaba caindo, com a Pedra, em um precipício.

No meio da jornada, Freddy se encanta com uma borboletinha, fazendo Dach se perguntar se ele é mesmo o cachorrinho lendário...


36. O Segredo da Pedra Protetora

ep 36Dom Coro, com a queda no precipício, fica muito machucado, não está sentindo as patas traseiras. Ele está no meio de uma floresta e perdeu a Pedra Protetora.

Em uma cabana próxima o Beagle B-chan tenta chamar a atenção de seu dono, o Caçador. Ele nem liga para o cachorro, só quer ver televisão. B-chan vai dar uma volta na floresta; ele está triste e lembra como ele e o Caçador eram amigos, como caçavam juntos javalis e coelhos. No caminho, B-chan encontra a Pedra Protetora (um cristal claro e brilhante) e a leva para seu dono, que o chuta para fora de casa, dizendo para não trazer lixo para casa.

Freddy, Dach e Noppe seguem a pista de Dom Coro e chegam na floresta onde ele caiu. Freddy quer continuar, mas Dach (por causa de suas perninhas curtas, segundo Noppe) está cansado e quer dar uma parada. Ele avista a cabana de B-chan e segue para lá, deitando-se do lado de fora. Freddy e Noppe, no entanto, resolvem continuar a procura por Dom Coro, pois é preciso salvá-lo da influência maligna que a Pedra exerce sobre ele: cada um vai para um lado.

Noppe encontra Dom Coro em uma caverna, mergulhado em um pequeno lago de água quente, cantando "meu pai significa tudoooo pra mim, eu gosto muito deleeeee" desafinadamente; ele está muito ferido e diz para Noppe que se tivesse a Pedra Protetora se curaria facilmente.

Dach acorda e dá de cara com B-chan, que está bravo pela invasão de seu território. Dach vê que que B-chan está com a Pedra e fala para ele sobre a Árvore da Sorte. Logo Freddy chega, seguido de Noppe, que mente, dizendo que não encontrou o chefinho. Os quatro vão passar a noite dentro da cabana, já que o Caçador foi embora, abandonando B-chan. De madrugada, Noppe rouba a Pedra e a leva para Coro.

Na caverna, Noppe pede que Coro prometa que vai usar a Pedra para se curar e então a devolverá, pois ela pertence a Freddy. Porém, a Pedra (vermelha novamente) volta a influenciar Coro e ele não cumpre a promessa. B-chan chega à caverna e Coro ataca tanto ele quanto Noppe, que tentou defender o Beagle. Logo também chegam Freddy e Dach; Freddy fica bravo e decepcionado com Dom Coro e diz que ele é mau.

Dom Coro foge com a Pedra; Freddy e Dach vão atrás dele. Noppe, muito machucado, chora e canta baixinho, pensando em Coro: "o senhor significa tudo pra mim."


37. Freddy, O Cachorrinho Lendário

ep 37A Árvore da Sorte está queimando.

Dom Coro continua em sua corrida desesperada; ele lembra das palavras de Bernardo, do caminho que deve seguir: Naquele distante horizonte onde o sol se esconde em cada entardecer uma grande serpente sobe ao céu para submergir do outro lado e sair no mar. Se você for um cachorro de coração justo, encontrará essa grande árvore que realiza milagres. Coro chega em um rio que serpenteia até a montanha e entende o que lhe foi dito.

Freddy e Dach continuam sua jornada; Freddy está muito choroso e leva uma bronca de Dach. Os dois chegam a Floresta da Morte e, para não se perderem um do outro, Dach sugere que Freddy segure o seu rabinho. De repente, abutres aparecem e avisam que aqueles que passam por ali perdem suas vidas. Freddy e Dach não acreditam, até que vêem um veado se transformar em um punhado de ossos tentanto atravessar a floresta. Freddy fica apavorado, chora de medo e diz que quer ir embora, voltar para sua Ai, que não é o cachorrinho lendário. Dach concorda e os dois começam a voltar.

Freddy e Dach estão passando por uma cabana e escutam choro de filhotinhos; quatro cachorrinhos estão presos, sozinhos. Na casinha de cachorro do lado de fora, está o esqueleto de sua mãe. Freddy tenta abrir o portão, mas não consegue. Ele desiste. Os cachorrinhos choram sem parar e Freddy tenta novamente; de repente, uma luz brilhante o envolve e ele consegue abrir o trinco. Os cãezinhos saem felizes, agradecem o cachorrinho lendário e correm para o lado de sua mãe; e imediatamente, se transformam em uma pilha de ossos, como ela. Tudo isto serve de incentivo para Freddy, que decide retomar a jornada, para desespero de Dach.

Freddy e Dach retornam à Floresta da Morte, apesar de estarem morrendo de medo, onde os abutres voltam a ameaçá-los. Eles encontram lá Dom Coro, que está enfrentando um enorme urso, que se apresenta como o Guardião do lugar; Freddy quer ajudar Coro, Dach não entende porque ajudar "um traidor"; ele explica que Coro é seu amigo e sempre será. Coro perde a Pedra Protetora e em seguida o urso ataca Freddy e Dach. Dom Coro pula sobre os dois e os protege com seu corpo; uma luz brilhante envolve todos e o Guardião se transforma em um monte de ossos — foram salvos por um gesto de amizade. Depois, Dom Coro se afasta.

Ouve-se uivos. Um lobo acha a Pedra. De repente, Freddy e Dach se vem cercados por uma enorme alcateia de lobos. Freddy explica que quer salvar a Árvore da Sorte e sua dona Ai, mas o lobo diz que os humanos não merecem ser salvos, eles destroem as florestas, perseguem e matam seus animais. Freddy defende que ainda há salvação para os humanos, que nem todos são maus. O líder da alcateia se convence de que Freddy é o cachorrinho lendário e conta o que o primeiro lobo que se aproximou dos humanos e se deixou domesticar chamava-se Freddy. Ele entrega a Pedra a Freddy (que com ele tem um brilho verde) e guia ele e Dach até uma passagem que levará até a Árvore da Sorte.

A passagem é um túnel estreito, Freddy e Dach mal cabem nele; eles acabam  esgorregando e caindo... caindo...


38. Salve a Árvore da Sorte

ep 38Freddy e Dach se veem em um deserto. Os dois andam, andam e andam, sem chegar a lugar nenhum; Dach comenta que ali não se pode encontrar árvore nenhuma. Começa a ventar forte e os dois ficam com cara de "múmia". Riem de si mesmos e Dach acaba caindo em um buraco; como não consegue voltar, Freddy segue sozinho, prometendo que voltará para buscar o amigo.

O vento piora e está muito difícil para Freddy continuar. Então, alguns amigos aparecem para lhe dar forças: Ai,  Max, Sr. Ryoma e Cocco. Freddy agora tem a coragem suficiente para ir em frente.

Dom Coro, Noppe e Kowalski também estão naquele deserto onírico. Sem que Coro possa ouvir, Noppe pergunta a Kowalski se já contou ao chefinho que seu papai morreu há algumas horas. Ele diz que não, que ainda não teve coragem.

Freddy finalmente chega aos pés da gigantesca Árvore da Sorte; ela está em chamas. A Árvore diz que estava esperando por Freddy e pede sua ajuda. Outra voz manda Freddy se afastar dali. A Árvore fala que a Pedra Protetora deve ser inserida em um orifício no alto dela, mas toda vez que o pequeno Freddy tenta alcançá-lo, é atingido pela lava fervendo que escorre no tronco da árvore.

Freddy está no chão, a lava queimando seu corpo, quando Dom Coro, Noppe e Kowalski chegam e salvam sua vida. Eles limpam o cachorrinho lendário e Dom Coro diz que vai ajudar Freddy a alcançar seu objetivo. Com seu corpo (ele é muito maior que Freddy), Coro protege o amigo enquanto eles sobem no tronco da Árvore. A lava queima Coro; quando estão próximos do orifício, ele cai e Freddy continua sozinho.

No chão, Coro é socorrido por Noppe e Kowalski.

Com muita dificuldade, Freddy alcança o orifício e encaixa a Pedra Protetora. A Árvore da Sorte está SALVA. Enfraquecido, ele cai, mas é amparado por Yupi, o cachorro robô. Yupi, Max, Cocco, Ryoma, todos os amigos que Freddy conheceu ao longo de sua jornada vieram de longe e agora estão ao pé da Árvore da Sorte, que começa a desabrochar novamente, ficando cada vez maior, mais verde, mais linda e frondosa. Freddy se aproxima de Dom Coro para ver como ele está; Coro está feliz com a beleza da Árvore. Freddy sai a procura de seu amigo Dach; agora, não há mais deserto, a terra está cheia de flores, plantas e árvores.

Dom Coro, ao lado de Noppe e Kowalski, diz que quer falar com Freddy; como ele não está por perto, comenta que só de ver a carinha feliz dele já foi muito bom e que ele se sente bem por tê-lo ajudado. Dom Coro está mortalmente ferido; Noppe e Kowalski choram por ele.


39. Bem Vindo à Casa, Freddy

ep 39Freddy encontra Dach caído atrás de um arbusto; estaria ele morto? Freddy chora e, desesperado, morde a orelha de Dach. Este, bem vivo, acorda já gritando e dando bronca em Freddy... Os dois voltam para o pé da Árvore e encontram Noppe e Kowalski; eles falam para Freddy que ele foi embora juntar-se ao seu papai. Freddy a princípio não entende o porque da pressa; mas então, ele vê no pescoço de Noppe o estojinho de Dom Coro e entende: seu amigo está morto. Todos os cães começam uivar.

O Sr. Ryoma diz a todos que é hora de voltarem para casa, para seus donos, que agora, com certeza, estão esperando por eles anciosos. Todos partem, exceto Max, Cocco e Dach. Freddy agradece a Ryoma e Einji por tudo o que fizeram por eles; Ryoma diz que foi Freddy quem os ensinou que "somos donos de nosso próprio destino"; Eiji acrescenta que ensinou também que "devemos agir como se fosse nosso o sofrimento de nossos companheiros." Eles se despedem e Freddy vai embora com Dach, Max e Cocco. Ryoma e Eiji estão felizes: eles passaram a responsabilidade para a nova geração com sucesso.

Chegando em uma encruzilhada, é hora de se despedir. Max convida Dach para vir morar com ele na clínica veterinária, mas Dach acha melhor não ir — sustentar o comilão do Max já é despesa o suficiente... além disso, viver com um humano "é muito asfixiante!" Max então parte com Cocco e Dach segue outro caminho com Freddy. Antes, Coco pergunta a Dach se ele acha que eles se verão novamente um dia; Dach diz que sim, com certeza. Então, ela parte feliz e saltitante.

Dach dá conselhos ao pequeno amigo — como ele deve se comportar em casa, não fazer xixi em qualquer lugar, não mastigar coisas etc. E revela que, quando era filhote, teve alguém que cuidava dele, mas que esta pessoa morreu. Então, ele decidiu viver nas ruas, viajando. Freddy se emociona com o relato e começa a chorar. O irritável Dach também chora e fica bravo, pois não é assim que dois machos devem se despedir! Os dois brigam, brincam e se separam.

Dach chega a um povoado e observa que tudo voltou ao normal: as pessoas e seus cachorros estão em harmonia novamente. Ele continua andando, até chegar a uma praça e escutar uma música conhecida — é a praça onde aquele senhor bondoso que cuidou de sua patinha costuma tocar gaita em troca de algumas moedas. Ele observa o senhor, escondido em um beco. Fica triste quando vê que ele está acompanhado de um cachorrinho. Está dando meia vota, quando uma mulher chama "Minich, vamos embora!" O cachorrinho NÃO está com o senhor! Bate um vento forte e o boné do senhor voa longe. Ele levanta para ir buscá-lo; não é necessário. Dach sai de seu esconderijo, tímido, com o boné na boca. O senhor o pega no colo, com carinho e Dach se sente seguro e amado mais uma vez.

Freddy finalmente chega ao seu destino. Ai está a sua espera, sentada de pijama na frente da casa. Nas primeiras horas da manhã, os dois estão juntos novamente!


[VOLTAR]